Sobre Maria Flávia de Monsaraz

Sempre se dedicou às artes plásticas vivendo em simultâneo uma obcessiva e permanente interrogação sobre o sentido da Vida.
Entrou aos 16 anos na ESBAL, onde se formou em Escultura. Em 1964, com uma bolsa da Gulbenkian, fez pós-graduação em Pintura Mural dada pela Escola das Artes Decorativas de Paris, onde permaneceu até 1969. Ao regressar de Paris, trabalhou em tapeçaria durante 15 anos, ao mesmo tempo que estudava e aprofundava o conhecimento da astrologia que sempre a fascinou.Tem uma obra comprada pela UNESCO numa exposição internacional de artistas mulheres, uma obra no Museu Soares dos Reis no Porto, e igualmente outra obra que inaugurou o Museu de Arte Moderna da Gulbenkian.
Só a partir de 1985, depois do Congresso do Brasil, é que a sua vida "revolucionou", mudando integralmente de rumo.

"Maria Flávia de Monsaraz é, há 26 anos, responsável pela divulgação e formação de um pensamento alternativo sobre a Vida e sobre o mundo, ao qual têm aderido centenas de pessoas do povo às elites sociais, culturais, políticas e económicas do país. Em 1987, abre o Quíron – Centro Português de Astrologia e com ele inicia um caminho que a torna responsável pela refundação da Astrologia em Portugal e pela formação de várias gerações de astrólogos.

Aos 76 anos é hoje mais do que uma astróloga - é autora de uma síntese teórica própria daquilo que é chamado por Ciência Esotérica, que resulta da simbiose entre o esoterismo e a explicação do que é considerado mundo do oculto e da doutrina e dos valores do cristianismo, do budismo e do Taoismo, e que já deixou em dezenas de livros. Um pensamento doutrinário próprio que desafia, interpela e provoca o racionalismo ocidental.

Filha do poeta Alberto de Monsaraz e nascida na aristocracia, Maria Flávia de Monsaraz tirou o curso de Escultura na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, onde adere à Juventude Universitária Católica (JUC). Vive a crise académica de 1961 em Lisboa e o Maio de 1968 em Paris, onde, com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, estuda na Escola Superior de Artes Decorativas. É em Paris que contacta com a Astrologia.

Regressa a Lisboa em 1972, onde durante 15 anos foi responsável pela introdução da Nova Tapeçaria em Portugal. E abriu com mais dois sócios um bar emblemático na Lisboa de esquerda: o Metro e Meio."

Extracto de uma biografia de São José Almeida no Publico online de 02 Agosto de 2013

http://www.publico.pt/portugal/noticia/a-astrologia-e-a-escrita-de-deus-1602001?autoplay=1

Adenda:

No dia em que fez 50 anos, inaugurou no Rio de Janeiro, o primeiro Congresso Internacional de Astrologia em língua portuguesa. Aí, o impacto desta Sincronicidade, impôs-lhe uma nova opção de Vida: o compromisso na divulgação da sua visão do Mundo, a Astrologia e a Ciência Esotérica.