Maria Flávia de Monsaraz

"Impulsionadora da Astrologia Cármica, Humanistica e Transpessoal"


Filha do poeta Alberto de Monsaraz e nascida na aristocracia, Maria Flávia de Monsaraz tirou o curso de Escultura na Faculdade de Belas-Artes da Universidade de Lisboa, onde adere à Juventude Universitária Católica (JUC). Vive a crise académica de 1961 em Lisboa e o Maio de 1968 em Paris, onde, com uma bolsa da Fundação Calouste Gulbenkian, estuda na Escola Superior de Artes Decorativas. É em Paris que descobre a Astrologia.

No dia em que fez 50 anos, inaugurou no Rio de Janeiro, o primeiro Congresso Internacional de Astrologia em língua portuguesa. Aí, o impacto desta Sincronicidade, impôs-lhe uma nova opção de Vida: o compromisso na divulgação da sua visão do Mundo, a Astrologia e a Ciência Esotérica.

Maria Flávia de Monsaraz foi responsável pela divulgação e formação de um pensamento alternativo sobre a Vida e sobre o mundo, ao qual aderiram centenas de pessoas do povo às elites sociais, culturais, políticas e económicas do país. Em 1987, abre o Quíron – Centro Português de Astrologia e com ele inicia um caminho que a torna responsável pela refundação da Astrologia em Portugal e pela formação de várias gerações de astrólogos.

Foi autora de uma síntese teórica própria que resulta da simbiose entre a Astrologia, a Ciência Esotérica, o Cristinaismo, o Budismo e o Taoísmo. O seu pensamento doutrinário muito próprio desafia, interpela e provoca o racionalismo materialista ocidental. O testemunho deste pensamento encontra-se vivo entre nós através de livros, palestra e aulas.


Nota: Todas as criações intelectuais, tais como textos, imagens, vídeos e sons, incluindo conteúdos de aulas, da autoria de Maria Flávia de Monsaraz, são da propriedade dos seus sucessores e não podem ser copiadas, importas ou utilizadas publicamente sem a autorização dos mesmos.